Administradoras de Belas vendem terreno do ex-presidente da FAB a favor de empresário

0
123

Constantino Samuel

Tudo indica que a venda e ocupação ilegal de terrenos no município de Bela, em Luanda, passou a ser um negócio, supostamente rentável para administradoras de município de Belas, Mariana Francisco Cunha, e do distrito de Kabolombo, Cecília Lauriano. Administração do Belas nega as acusações e reconhece que o terreno é de Bi Figueiredo.

O antigo presidente da Federação Angolana de Basquetebol, Bi Figueiredo, queixa-se da invasão de um terreno na zona do Kabolombo, na Samba, que, alegadamente administradoras do distrito de Kabolombo e Belas terá vendido ao presumível empresário de nome António Rodrigues.

Cláudio Gonçalves, representante de Bi Figueiredo, diz que ficaram surpreendidos quando encontrar obras a ser erguidas no local, mesmo administração sabendo que o terreno é pertença do antigo presidente da Federação Angolana de Futebol.

Para abafar o caso, Mariana Francisco Cunha propôs a Bi Figueiredo um terreno numa localidade que o lesado discorda, visto que a zona, a seu ver, não é atractiva para os seus futuros projectos que tencionar alavancar, segundo Cláudio Gonçalves.

“A administração do município de Belas não teve outro caminho para desmentir ou negar a titularidade do terreno, atendendo os documentos em posse do ex-gestor desportivo. O terreno de dezenas de hectares supostamente propriedade de Bi Figueiredo há duas décadas”, confirmou.

Desesperado com as “trafulhas” de Mariana Francisco Cunha e pares, Bi Figueiredo desencadeou uma series de contactos junto do Governo Provincial de Luanda, de modo, a rever o seu terreno, ao invés, do proposto pela responsável administrativa do município do Belas.

Administradora reconhece titularidade

Uma fonte do gabinete de Comunicação Institucional da Administração do município de Belas nega às acusações e reconhece que o terreno [e do antigo presidente da Federação Angolana de Basquetebol.

“A Administração reconhece que o ex-presidente da Federação de Angolana de Basquetebol, mas diz que o que se pretende é apenas aferir a documentação, embora administração tenha anuído o espaço do lesado. Queremos apenas reparar os danos. Não se trata de roubo”, disparou à fonte.

Questionado as razões que levaram administração a propor um outro terreno ao antigo responsável da FAB, já que administradora nega ter vendido, a fonte respondeu que são apenas procedimento administrativos para se chegar a um consenso.

De uma sugestão

Seja o primeiro a comentar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva o seu comentário
Por favor, escreva o seu nome aqui