Trata-se dos sub-inspectores Cosmo António Gonga e Santos Manuel Pacavira, ambos colocados no Departamento de Combate à Corrupção do Serviço de Investigação Criminal (SIC) encarregados de avaliar, alegadamente, os bens do antigo governador de Luanda.

Fontes do Serviço Investigação Criminal (SIC) presumem que as mortes misteriosas dos dois oficiais subalternos do SIC estejam relacionadas com as actividades inspectivas ao património do deputado Higino Carneiro, no município de Calulu, na província do Kuanza Sul.

Entretanto, no dia 18 de fevereiro, após terem efectuado um trabalho de investigação e inspecção de uma alegada fazenda de Higino Lopes Carneiro, no município do Calulu, no Kuanza Sul, Cosmo António Gonga e Santos Manuel Pacavira foram dispensados para suas residências.

Para espanto dos colegas, no dia 19 de fevereiro do ano em curso, os sub-inspectores que estavam encarregues de  investigar os supostos negócios do antigo ministro da Obras Públicas, no Kuanza Sul, foram assassinados, mas em horas diferentes por homens encapuzados.

História do acontecimento

As fontes fidedignas atestam que o oficial, Santos Manuel Pacavira, foi morto, às 19h:00, na sua residência sita no bairro Grafanil, no município de Viana, por elementos ainda por identificar.

No mesmo dia, o sub-inspector Cosmo António Gonga, colega de Santos Manuel Pacavira, também foi surpreso por volta das 03:00 da manhã, na sua casa localizada no bairro Vila Alice, no Distrito Urbano do Rangel, por desconhecidos que o atingiram mortalmente.

Apurou, este portal, que os referidos sub-inspectores exerciam as funções na Secção de Combate à Corrupção que tem a finalidade de investigar figuras que têm impressão digital no açambarcamento do erário público.

O facto está mexer com os elementos do SIC que consideram ser um momento muito crítico que se está a viver, uma vez que este Departamento, no seio da corporação, tem como missão desvendar todos as pessoas que assaltaram o erário público.

O “apública” sabe de fontes do Departamento de Combate à Corrupção do SIC, que a situação está a ser investigada, no entanto, para não criar alaridos o assunto tem sido encoberto no intuito de não permitir a fuga de informação.

“O sentimento é de desconforto, já que o assunto não está para menos nos corredores do SIC. Este assunto não veio à baila porque está ser aguardado a sete chaves para que não venha a público, mas é verdade que o caso não está para menos”, segredam.

Desconfiam que o assassinato daqueles dois oficiais, nomeadamente, os sub-inspectores: Cosmo António Gonga e Santos Manuel Pacavira aconteceu devido as investigações levadas a cabo aos bens do general Higino Carneiro, no município do Calulu, província do Kwanza Sul.

Seja o primeiro a comentar

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva o seu comentário
Por favor, escreva o seu nome aqui