O presidente do Conselho de Administração do Banco de Comércio e Indústria (BCI), Filomeno Ceita, está desde quinta-feira, 28 de Fevereiro, sob termo de identidade e residência, depois de ser ouvido na Direcção Nacional de Investigação e Acção Penal (DNIAP), no caso que envolve o antigo director do Gabinete de Revitalização da Comunicação Institucional e Marketing (GRECIMA), Manuel Rabelais.

Com Filomeno Ceita, foi notificado o gestor da conta do GRECIMA, naquela instituição bancária, cujo nome não foi mencionado. A Procuradoria-Geral da República já constituiu arguido o deputado Manuel Rabelais, por haver indícios de factos que constituem “actos de gestão danosa de bens públicos praticados enquanto director do GRECIMA, entre 2012 e 2017.

Ao deputado Manuel Rabelais foi aplicada a medida de coacção de termo de identidade e residência, obrigação de apresentação periódica às autoridades e a interdição de saída do país.

Rabelais é indiciado por gestão danosa de bens públicos, além dos crimes de peculato, violação das normas de execução do plano e orçamento e abuso do poder, associação criminosa e corrupção passiva.

Seja o primeiro a comentar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva o seu comentário
Por favor, escreva o seu nome aqui