Plataformas juvenis de partidos políticos denunciam aproveitamento no combate à covid-19

0
170
Agostinho Kamuango, um dos intervenientes da conferência de imprensa

Alexandre Mahula

As organizações juvenis de partidos políticos da oposição e o MEA concluem que o combate à pandemia da covid-19 está a ser aproveitada pelo MPLA para promover a propaganda política, com ofertas de bens de primeira necessidade.

Ao dissertarem numa conferência de imprensa, as plataformas juvenis de partidos políticos da oposição e o MEA referem que o Governo tenciona atrasar o processo de combate a pandemia, com vista a tirar dividendo, em quanto durar.

Agostinho Kamuango, líder da juventude Unida e Revolucionária de Angola, espera que às autoridades sejam mais pedagógicas, enquanto ao combate à covid-19, apelando uma postura assertiva das forças de segurança da ordem e tranquilidade publica para que haja mais brutalidade da polícia para com o cidadão.

O desemprego e a falta de solidariedade com os taxistas, também, mereceram a reflexão dos representantes juvenis dos partidos políticos com assento parlamentar e do Movimento dos Estudantes Angolanos (MEA).

Relativamente às eleições autárquicas, os jovens entendem que a falta de celeridade demostrada pelo Governo visa atrasar a concretização o processo, sendo o maior beneficiário, o MPLA.

Apesar de valorizar o esforço  da Comissão Multissectorial do combate à Covid-19, Gaspar dos Santos, secretário-Geral da Juventude do Partido de Renovação Social, pensa existir passividade pela forma como o processo tem sido conduzido, através de pouca testagem e as constantes violações da cerca sanitária de Luanda.

“Mormente as restrições impostas, sentimos haver tendências de asfixiar a democracia. Dirigentes do MPLA andam dia e noite pelo país, com protestos de actividades governamentais, para promoverem imagem do seu partido”, disse.

Dos Santos denunciou, por sua vez, que  a brutalidade da defesa e segurança na província da Lunda Norte fez mais vítimas mortais em relação à covid-19, sendo que uma semana 4 supostos jovens garimpeiros  foram mortos, por seguranças das empresas exploradoras de diamantes.

Deste modo, confirmou que todas as semanas são encontrados corpos na margem do rio Cuango, na província da Lunda Norte, acções protagonizadas por alegados agentes de segurança das empresas exploradoras de diamantes, sob o olhar do governador da província.

A conferência de imprensa realizada nesta terça feira, 16, em Luanda, contou com a presença dos líderes da Juventude Unida Revolucionaria de Angola (JURA), Juventude Patriótica de Angola (JPA), Juventude do Partido de Renovação Social (JURS), Juventude da Frente Nacional de Libertação de Angola (JFNLA) e o  Movimento dos Estudantes Angolanos(MEA).

 

 

 

 

 

 

 

 

Seja o primeiro a comentar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva o seu comentário
Por favor, escreva o seu nome aqui