Quem somos

 

 

A apública é um canal online generalista que aborda assuntos jornalísticos com um pendor mais investigativo e sem tabu.

O site apública orienta-se pelo princípio da dignidade da pessoa humana e pelos valores da democracia, da liberdade e do pluralismo.

A apública aposta num modelo de jornalismo sem fins lucrativos para manter a independência e sem apego ao poder político e Economico.

A apública é uma via de informação concebida, escrito e idealizado por jornalistas angolanos, no respeito dos direitos e deveres previstos na Constituição da República de Angola e na Lei de Imprensa em vigor no país.

As metas d´apública é fortalecer a produção de conteúdo de qualidade e profundo, de interesse público e de defesa da democracia.

O jornal online pauta-se por um jornalismo investigativo, com base no processo e rigoroso no apuramento dos factos e que tenhamcomo princípios a defesa intransigente dos direitos humanos.

O portal prioriza o diálogo com os leitores, promovendo, nas suas secções e nos vários formatos interactivos que o suporte internet permite a participação desses mesmos leitores.

Por último,  apública apoia uma sociedade livre das influências das corporações, nepotismo, dos grupos instalados, que se “agarram” à custa dos contribuintes, coisa pública e dos diplomas legais para impor um modelo de desenvolvimento económico feito ‘à medida’ de interesses estranhos.

 

A apública curva-se por três eixos investigativos de actuação:

1-justiça social:

Apesar de que o conceito surge em meados do século XIX, referido às situações de desigualdade social, e define a busca de equilíbrio entre partes desiguais, por meio da criação de proteções, apública se predispõe ao cruzamento entre o pilar econômico e o pilar social a favor dos mais fracos.

Por isso, sendo a justiça social uma construção moral e política baseada na igualdade de direitos e na solidariedade coletiva.

Para ilustrar o conceito, diz-se que, enquanto a justiça tradicional é cega, a justiça social deve tirar a venda para ver a realidade e compensar as desigualdades que nela se produzem.

A apública apega-se na idéia do teórico contemporâneo da justiça distributiva, o filósofo norte americano John Rawls que avalia o seguinte: enquanto a chamada justiça comutativa é a que se aplica aos iguais, a justiça social corresponderia à justiça distributiva, aplicando-se aos desiguais.

Teoria da Justiça, de 1971, Rawls defende que uma sociedade será justa se respeitar três princípios:

1-garantia das liberdades fundamentais para todos;

2-igualdade equitativa de oportunidades;

3-manutenção de desigualdades apenas para favorecer os mais desfavorecidos.

2- corrupção

O “cancro” da corrupção em Angola é um fardo sem precedente que começa na função pública até ao escalão mais alto, impedindo e perturbando, assim o crescimento económico e programas de liberalização patrocinados pelo governo no país.

Esse fenómeno, de acordo vários estudos de alguns teóricos e de organizações internacionais de luta contra a corrupção e Transparência que à “apública”, a colocam Angola no grupo dos países mais corruptos do mundo.

Por isso, que apública versa à luta contra a corrupção e à defesa da democracia por meio de pesquisas, denuncias e trabalhos que promovam a boa gestão da coisa pública.

3-Boa governação

Nos últimos anos, o país tem se encontrado na “cauda na avaliação do IIAG 2015, Angola desceu para o lugar 43 entre os 54 países (mais 0,1 pontos que em 2014), com retrocesso na categoria Oportunidades de Negócio Sustentáveis.

Números de avaliação sobre boa governação de ONGS nacionais e internacionais espelham que o progresso da boagovernação em Angola está parado, por causa daquilo que tem a ver as políticas falhadas e implementadas no país.

Marca d´apública                                                 

Jornalismo sem tabu é o slogan que escreve apública nos quatro cantos do globo.

Centro de produção de debates

O Centro de produção é um espaço da responsabilidade d´apública, cuja missão é produzirmesas redonda, encontros e debatesde idéias sobre os variados assuntos que mexem com o país.

É também nossa missão, produzir relatórios investigativos de assuntos interesses públicos que preocupam a sociedade, porque acreditamos ser um parceiro crucial das autoridades angolanas no que tange a defesa dos direitos fundamentais do homem.

Por isso, acreditamos em encontros, pesquisas e denuncias públicas que possamos construir um país com umademocracia melhor e robusta.

Para manter nossa independência, apública propõe-se em colaborar com seus leitores e apreciadores naquelas questões que interessam seus internautas.

A “Casa Pública”através d´apública acredita que é com debates e mesas redonda democráticas sem tabus que se alcance o fortalecimentodo direito à informaçãoe à promoção dos direitos humanos.

Além de produzir debates, apública, entretanto, depende de financiadores independentes que queiram ver um trabalho que promova a convivência social publicado n´apública, uma vez que acreditam na reportagem  e no repórter d´aPública.