Traição reparte revús?

0
130

Redacção

Agudiza-se à crise no movimento revolucionário angolano, devido a actos de corrupção que estejam a multiplicar divisão entre activistas. Jovens mostram-se decompostos e apontam figuras com ligações ao CNJ, como geradoras do conflito.

Um renomado revú desabafa, ainda, que casas, dinheiros e “meios para abjurar estômago” continuam a ser ferramentas usados para  alguns activistas exporem as suas vulnerabilidades.

Membros do Conselho Nacional da Juventude confirmam que, em dezembro, alguns activistas selaram um acordo com CNJ para recessão de apartamentos na Centralidade do zango-0, em Luanda.

Entretanto, há quem no movimento desvalorize a suposta traição, já que, a seu ver, apartamentos, dinheiro e prenda de natal não possam comprar consciências.

As coisas no ninho do líder do CNJ, Isaías Calunga, também não estão acorrer lá muito bem, tudo por causa do engajamento do jovem em desfazer os revús com prendas em detrimento dos seus membros.

De igual modo, a fonte da CNJ alerta os órgãos da justiça, a necessidade de acompanhar as movimentações menos abonatórias adoptadas pelo governo, através do Conselho Nacional da juventude.

“se há vontade de combater a corrupção, então é melhor travar a morte de mentes de jovens que pensem diferentes”, alertou um revú, dizendo ter uma cópia da lista de activistas comtemplados com apartamentos.

Ainda assim, a fonte concluiu que há diferença entre o período de governação do Ex-Presidente José Eduardo dos Santos e de João Lourenço, Presidente da República de Angola, porque, a seu ver, continua remar pelas mesmas práticas.

“Ambição pelo enriquecimento assumida por presumíveis  activistas está ruir as causas do movimento civico angolano”, desabafa um renomado revú.

Dê uma sugestão

Seja o primeiro a comentar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva o seu comentário
Por favor, escreva o seu nome aqui